Parque General San Martín, como o conto das mil e uma noites

17095702060_3ddee7cc65_oPor: Jeanne Coelho

Se você colocou os pés em Mendoza e escutou algo de que aqui era um deserto, vai se surpreender! Não vai encontrar terras áridas, nem sol escaldante de matar; pelo contrário, verá uma cidade super arborizada e cheinha de verde por todos os lados. Mas vou lhe contar onde o verde se concentra em maior quantidade, formando o pulmão desta cidade.  O lugar se chama Parque General San Martin e você tem mil razões para se embrenhar nele.

O parque público foi iniciativa governamental após o terremoto de 1861, quando a cidade começou a ter sérios problemas na área sanitária, mas sua criação estaria mais vinculada a ter um espaço verde público cultural, com plantas exóticas, inspirado nas ideias da ilustração do fim do século XVIII. Ele foi projetado pelo arquiteto e paisagista francês Carlos Thays, o mesmo que planificou os Bosques de Palermo em Buenos Aires. A oligarquia do fim do século XIX estava convencida que os parques seriam a ligação com a civilização europeia.  Foi também uma proposta de reflorestar as imediações da pré-cordilheira para que as brisas úmidas e ricas de ozônio baixassem para refrescar a cidade e melhorar a qualidade de vida de seus habitantes. Hoje ele é um oásis de 400 ha localizado ao oeste da capital de Mendoza, entre o limite do centro urbano e os primeiros morros.

Você poderá chegar ao parque, saindo do centro, pela Calle Emilio Civit, até encontrar um imponente portão de ferro e bronze, que lhe convida a entrar. Na parte alta do portão tem um condor e o brasão da cidade. O bate boca local dá um ar fantástico à compra do mesmo, vinculando-o com um mítico sultão árabe, e diz também que nele estavam anteriormente os símbolos da cultura árabe.  Não se sabe ao certo se isso é verdade, mas o portão é realmente magnífico e dá um ar majestoso à entrada do parque. Ao ingressar por ele, você dá de cara com a Avenida Del Libertador, uma longa via com fileiras de álamos em toda sua extensão. O paisagista a fez parecer com a famosa Champs Elysees de Paris.   Uma visão fantástica que tem como pano de fundo a cordilheira, que por ser íngreme, e depois de escutar a versão da compra desse portão, você começará a imaginar que é uma pista que o levará ao topo da montanha em um tapete voador.

O parque é um verdadeiro jardim botânico com uma grande variedade de plantas exóticas, todas cultivadas pelo homem neste solo árido do deserto. Também possui um Parque Aborigen com plantas nativas, entre elas grande variedades de cactos. Para os amantes da botânica, um prato cheio.

Outra atração é o Cerro de La Gloria, um morro a 980 metros acima do nível do mar. Nele se encontra um monumento em homenagem ao General San Martín, heroi Nacional, que na luta pela independência cruzou os Andes e ajudou a livrar a Argentina, Chile e Peru do domínio espanhol. Na base desta escultura está fundida, em bronze, a gesta deste general. O nome do parque também é em sua honra. Deste lugar você tem uma vista panorâmica da cidade de Mendoza e um caminho para subir e outro para descer. Na descida, você encontra o anfiteatro Frank Romero Day. É ao ar-livre e está localizado em uma cavidade com excepcional visibilidade e acústica, portanto é excelente para shows ao vivo; aí se realiza anualmente a Fiesta de la Vendimia. Quase em frente ao morro está o zoológico que possui entre pinheiros e árvores,  além das aves, felinos e espécies dos Andes como lhama, vicunhas e alpacas; fazendo deste passeio ótima opção para ir com a família e a garotada.

17281515562_61907680d0_o

No coração do parque está o clube Regatas, onde se pratica atividades esportivas variadas e está localizado à beira de um lago artificial que possui um circuito de 3.600 m a sua volta. Em suas margens as pessoas costumam caminhar diariamente para perder uns quilinhos e cuidar da saúde. Além de ser a mais simples de todas as atividades físicas, é uma forma eficaz, fácil e barata de emagrecer, ganhar fôlego e proteger o coração. Então a população aproveita para se exercitar e respirar ar puro neste lugar tão bonito por natureza.

Encostado a esse lago está o Rosedal um jardim de roseiras.  A rosa, que é exuberante e possui uma fragrância especial, tem seu simbolismo e beleza. Então imaginem o lugar… Depois da exercitação, você pode se sentar em um dos banquinhos, tomar algo refrescante e se sentir no paraíso. Ao cair da tarde as pessoas costumam ir para lá tomar chimarrão, comer facturas e se deleitar com a paisagem. Bem em frente está a Fuente de los Continentes, um monumento que representa a América, Ásia, Europa, África e Oceania. É uma bela fonte com características europeias e com estilo. Quando as águas jorram de suas vertentes é comum as pessoas se aproximarem para tirar fotos, pois desponta um balé de águas dançantes.

Encontraremos também dentro do parque: os institutos de pesquisas; o CRICYT que é um centro de investigações científicas; o Museo de Ciências Naturales y Antropológicas Juan Cornelio Moyano, que é uma das instituições mais antigas e de prestígio do Patrimônio Cultural da Argentina e excelente lugar para os amantes dos fósseis; um campo de Golfe; um Clube Hípico; três estádios de futebol; sendo um deles o Islas Malvinas, construído para o Campeonato Mundial de 78,  como também uma imensa cidade universitária a Universidad Nacional de Cuyo, com 12 faculdades gratuitas e sua reitoria.

Com referência às atividades culturais, todos os anos se realizam eventos musicais como o Americanto, Jazz del lago; e diversões como cinema ao ar livre e outros relacionados com a festa da uva, La vendimia.

Você poderá ir ao parque de carro, a pé, de bicicleta, que por sinal existe a possibilidade de alugá-la em um local logo na entrada. Outra opção é pegar um ônibus turístico na praça Independencia, bem no centro da cidade. Ele é todo aberto e panorâmico. Nele você poderá apreciar bem de perto todas as belezas, pois seu trajeto é por todo o parque, finalizando no Cerro de La Gloria.

Vou lhes contar uma particularidade que ocorre no verão: Devido ao forte calor desta época, as famílias mendocinas costumam ir ao parque se instalar em qualquer recanto, de sombra e água fresca, e varam a noite.  Levam mesas, cadeiras, comidas, bebidas e a criançada brinca à vontade. Os jovens também se encontram nos fins de semana na Calle de las Palmeras, tornando-o seu hábitat antes de irem às baladas.

O parque é de todos e para todos. Você como visitante, viajante, não importa o rótulo, não poderá deixar de conhecer um lindo lugar com cenários deslumbrantes. Além do mais, você não paga nem na entrada nem na saída. Isso não é uma maravilha das mil e uma noites? Então aproveite, pois tudo é pura diversão!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s